Trabalho excessivo: como evitar, o que pode causar e quais os problemas gerados para a empresa e colaborador

imagem de um homem com as mãos no rosto fazendo uma expressão de cansaço

O trabalho excessivo tem aumentado bastante nos últimos anos, com a aceleração de processos por meio da tecnologia e a implementação do home office muitos colaboradores passaram a trabalhar de forma contínua.

O colaborador passa a trabalhar ininterruptamente com poucos intervalos, e maior quantidade de trabalho, o que pode causar sérios danos a sua saúde física e mental e até mesmo prejudicar a produtividade da empresa.

É importante que o RH pense em alternativas para que os colaboradores não se esgotem, já que a empresa também pode ser prejudicada com essa atitude.

Por isso separamos os principais assuntos para você saber como identificar o trabalho excessivo, e como evitar para que aconteça, são eles:

Boa leitura!

Como caracterizar o trabalho excessivo?

O trabalho excessivo está associado a jornadas de trabalho superiores a 40 horas semanais, o que acaba criando um desgaste na saúde física e mental do colaborador, e isso reflete diretamente no dia a dia da empresa.

Quando o trabalhador demonstra insatisfação,  não consegue realizar todas as entregas designadas e aparenta exaustão, é um ponto de alerta para rever a quantidade de tarefas e as horas de trabalho.

A realização de muitas horas extras, também podem resultar em trabalho exaustivo, pois o colaborador está  estendendo sua jornada muito além do horário combinado, e o ideal é que isso ocorra somente em casos imprescindíveis.

Quais os danos à saúde que o trabalho excessivo pode causar?

Com o excesso de trabalho, as consequências começam a surgir em forma de doenças, e assim prejudicam a saúde do colaborador, por isso separamos alguns dados comprobatórios que apontam os danos à saúde, são eles:

Aumento de ataque cardíaco e AVC

Segundo a OMS, as jornadas de trabalho acima de 55 horas semanais podem aumentar em 17% as chances de ataque cardíacos e de 35% o risco de mortes por AVC nos funcionários.

A OIT fez o levantamento dos dados dessa pesquisa, com a análises dos ataques cardíacos, AVC e aumento de trabalho na jornada home office durante a pandemia.

E por conta disso criaram um manual com práticas para criar um ambiente saudável de trabalho, voltado para empregadores, empresas e funcionários.

Como o trabalho excessivo afeta a saúde mental?

imagem de uma mulher em uma mesa de trabalho com expressão triste e cansada

Assim como a saúde física é afetada, existem também os danos que podem não ser tão visíveis, e afetam diretamente a saúde mental da pessoa. Nessas situações, se faz necessário um acompanhamento psicológico ou psiquiátrico.

Três transtornos são bastante comuns em uma situação de trabalho excessivo, são eles:  

Ansiedade

As crises de ansiedade são bem comuns quando se trata do excesso. Essas crises podem resultar em alimentação compulsiva, alterações na pressão, tremedeiras e choros.

Os sintomas podem ser causados por excesso de trabalho com baixa produtividade, falta de reconhecimento, desânimo, excesso de preocupação ou insegurança.

Estresse

O resultado de conviver em situações de pressão, com muitas cobranças e exigências são o estresse físico, psicológico ou emocional, e estão ligados a alta irritabilidade.

Síndrome de Burnout

Também conhecida como síndrome do esgotamento profissional, a síndrome de burnout é o extremo do trabalho excessivo, que causa fadiga, cansaço físico e mental, dores de cabeça, pressão alta e batimentos cardíacos alterados.

Existem tratamentos e soluções para que esses danos sejam reduzidos ou evitados, é importante realizar exames ocupacionais com frequência para monitorar e identificar se a saúde dos colaboradores está em níveis positivos.

O que diz a legislação sobre excesso de trabalho?

De acordo com o artigo 58 e 59 da CLT, a jornada de trabalho normal de um trabalhador deve ser de 8 horas diárias, podendo estender o expediente em até 2 horas.

Claro que, em algumas jornadas específicas as horas de trabalho extrapolam as 8 horas definidas por lei, mas aqui temos que salientar que, geralmente jornadas maiores como 12×36, existe sim mais tempo de trabalho, porém o descanso também é maior. 

Além disso, quando a empresa adota um tipo de jornada não convencional, geralmente é por meio de acordo coletivo, o que permite que não sejam extrapolados limites físicos e mentais. 

Quais medidas o colaborador pode tomar contra a empresa?

Em caso do trabalho excessivo interferir na vida social e na saúde do colaborador, este poderá entrar com um processo trabalhista contra a empresa e até mesmo pleitear uma indenização por dano à saúde e assédio moral.

Principalmente em situações na qual a empresa não presta nenhuma assistência médica, nem se dispõe a realizar ajustes, nas entregas e na jornada de trabalho dos colaboradores.
As medidas jurídicas podem prejudicar a empresa e criar uma má relação com os outros colaboradores, que podem abrir novos processos.

Qual a jornada de trabalho ideal para se evitar o trabalho em excesso?

A jornada ideal de trabalho é a permitida pela lei, de no máximo 8 horas diárias e 44 horas semanais, podendo ser acrescida de  2 horas extras por dia.

Adotando esse limite de horário, sua empresa cuida para que não haja o trabalho excessivo. 

Entregar tarefas e prazos, após discutir em conjunto com a equipe, para conseguir definir quais são as ações mais urgentes que precisam ter prioridade e assim organizar um cronograma de atividades com acompanhamento das conclusões.

Quais as consequências para a empresa?

A baixa produtividade por parte dos colaboradores, redução da qualidade das entregas e uma equipe totalmente desmotivada pode resultar em uma série de problemas que comprometem o crescimento da empresa.

Se o colaborador pedir demissão por excesso de trabalho e for constatado no exame demissional, algum transtorno decorrente de seu  ambiente de trabalho, a empresa pode ter que responder na justiça por esse dano causado ao trabalhador. 

Como prevenir casos de trabalho excessivo na empresa?

Planejamento e organização são sem dúvidas, essenciais para qualquer empresa, e para evitar o trabalho excessivo não é diferente, por isso essas dicas ajudarão a preveni-lo:

  • Delimite as tarefas;
  • Invista em treinamentos;
  • Delegue funções;
  • Crie um cronograma;
  • Faça acompanhamento de planejamento;
  • Incentive o cuidado com a saúde mental;
  • Incentive a prática de exercícios;
  • Invista em tecnologia que otimize o tempo;
  • Aceite sugestões de mudanças.

As ações podem parecer muito simples, mas são fundamentais para evitar o desgaste da saúde mental e física dos colaboradores, pois quando ocorre excesso de trabalho é porque algum desses pontos saíram do controle.

É importante sempre revê-los junto com a equipe, afinal, são eles que estão com a mão na massa no dia a dia, e saberão informar melhor do que ninguém quais são os melhores ajustes a serem feitos.

Principais problemas gerados pelo trabalho excessivo

imagem de um homem com as mãos no rosto sentado em frente a uma mesa cheia de papeis amassados

A missão de realizar uma grande quantidade de tarefas em um curto prazo, pode fazer com que os colaboradores trabalhem de forma excessiva e ineficaz para cumprir a entrega.

O problema é que traz desvantagens para as duas partes.

Para o trabalhador

O rendimento e produtividade despencam, começa a surgir o desânimo, irritação, dores, mal estar, e no fim, as entregas podem atrasar ou até mesmo não ter muita qualidade, pois, pelo prazo apertado o colaborador não pode se dedicar nos mínimos detalhes. 

Para a empresa

Os resultados passam a ser negativos, os prazos sofrem atrasos, a rotatividade de funcionários aumenta, a equipe fica desmotivada e assim, começa o absenteísmo e problemas com licenças médicas, até que no fim, a empresa sofre com inúmeras ações judiciais.
O trabalho excessivo não traz benefícios nem para o funcionário e nem para a empresa, por isso é importante que seja evitado, para manter a produtividade e estrutura da empresa.

Como controlar a jornada de trabalho e evitar o trabalho excessivo?

imagem de uma pessoa segurando um celular com o aplicativo de ponto da pontotel na tela

Para saber se na sua companhia ocorre o excesso de trabalho, é necessário que exista algum meio de controle de jornada, para serem registrados os horários de entrada, saída e horas extras dos funcionários.

Aqui na PontoTel, realizamos o controle de ponto eletrônico, através de um software em nuvem, que além de registrar os horários, promove uma gestão de frequência para auxiliar o RH.

O sistema também possui autenticidade na hora da marcação de ponto, emite relatório de dados precisos, e ainda otimiza o tempo do RH. 

Quer saber mais sobre o sistema e estar dentro das exigências da lei trabalhista? Agende agora mesmo uma demonstração 

próximos passos pontotel comercial

Conclusão


No dia a dia é um desafio para o líder observar todos os colaboradores, para identificar quem está com a saúde afetada por trabalho excessivo, por isso é necessário tomar algumas medidas para evitar muito trabalho.

Realizar análise de desempenhos a partir das entregas realizadas, verificar se o colaborador tem faltado nos últimos dias e checar se existem queixas por parte da equipe.

Como vimos ao longo deste texto, o trabalho excessivo prejudica o colaborador em diversos níveis e a produtividade da empresa é abalada. Por isso, o ideal é apostar em controle para que não ocorra essa prática na companhia. 

O controle de ponto auxilia que essa análise seja feita rapidamente e de maneira precisa, assim reduz o tempo de resolução. 

Gostou do conteúdo? Visite o Blog da PontoTel e continue acompanhando nossos conteúdos voltados para melhorar as atribuições de RH da sua empresa.

Compartilhe em suas redes!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Rolar para cima