Profissional T-shaped: entenda as características, sua importância e principais habilidades!

imagem de três mulheres e dois homens ao redor de uma mesa olhando para um papel

O mercado de trabalho mudou de forma considerável nos últimos anos. Hoje, principalmente no contexto pós-pandêmico, as empresas buscam por profissionais que tenham múltiplas qualificações. É nesse contexto que surgiram os profissionais T-shaped. 

Para entender o que é e o que faz um profissional T-shaped, é preciso compreender as necessidades desse novo mercado. Enquanto as gerações anteriores buscavam estabilidade e solidez, os novos profissionais buscam diversidade e aprendizado. 

Uma série de pesquisas revelam que a geração Z, e as que virão depois dela, terão diversas carreiras ao longo da vida, remuneração personalizada e um sistema de trabalho menos massificado. 

Nessa mesma linha, as empresas acabam optando por contratar funcionários que se arriscam, que buscam novas oportunidades e ramificam seus conhecimentos para além do tradicional.

E o que isso tem a ver com o profissional T-shaped? Continue lendo para entender melhor! 

Boa leitura!

banner como funciona o software de ponto mais completo

O que é um profissional T-shaped?

O profissional T-shaped é aquele que detém algum tipo de conhecimento específico, mais aprofundado, ao mesmo tempo em que conhece um pouco de várias outras disciplinas dentro da sua mesma área. 

Isso significa que, esse profissional escolheu não limitar a sua carreira a um único conjunto de competências e habilidades. 

Em vez disso, decidiu investir seu tempo em outros cursos, certificações, desenvolvimento de soft skills e aptidões técnicas que o tornaram mais multifacetado. 

Imagine Carlos Eduardo, um profissional de TI (tecnologia da informação), por exemplo. Ele escolheu fazer uma pós-graduação em desenvolvimento de sistemas e se especializou nisso. 

Porém, Carlos também conhece diversas linguagens de programação, montagem e manutenção de computadores (hardware), análise de sistemas e segurança da informação. Ao aliar esse escopo de habilidades à sua especialidade, Carlos se tornou T-shaped. 

Mas de onde vem esse termo? Se você teve essa dúvida até aqui, consulte a próxima sessão. 

Qual o significado de T-shape?

imagem de dois homens em pé em um escritório conversando segurando um tablet

A expressão T-shape vem do inglês e significa “em formato de T”. O termo foi popularizado por Tim Brown, CEO da IDEO, uma empresa de design localizada na Califórnia. Brown definiu esse profissional como alguém capaz de aliar conhecimento à prática. 

A letra T dentro da expressão se refere a duas linhas que se conectam: uma horizontal e outra vertical

  • Na linha horizontal, estão os conhecimentos lineares, distribuídos por várias áreas, mas sem profundidade. Uma pessoa recém-graduada, por exemplo, é um profissional horizontal, pois seus conhecimentos se limitam aos ensinamentos da universidade. 
  • Já na linha vertical, é possível encontrar a profundidade de um especialista, uma área que o profissional escolheu pesquisar à fundo. Especializações, MBAs e pós-graduações costumam ser os responsáveis por essa verticalização. 

O profissional T-shaped é, portanto, a junção das duas barras, formando um T. É necessário destacar que nenhum desses perfis é ruim ou tem um caráter negativo. 

As empresas buscam por profissionais de perfis variados. O próprio Tim Brown defende a ideia de que o corpo de funcionários precisa ser composto de profissionais horizontais, verticais e T-shaped. Quanto mais diversidade, melhor. 

Agora que você já sabe o que é um profissional T-shaped, entenda quais são suas habilidades e porque ele se destaca no mercado. 

Quais as habilidades desse profissional? 

A habilidade principal do profissional T-shaped é a empatia. Cada vez mais, entende-se que a produtividade dentro de uma empresa tem uma conexão sólida com o quão humanizadas são as relações dentro dela. 

Mais do que isso, o profissional T-shaped é capaz de unir e relacionar soft skills (habilidades sócio-emocionais) e hard skills (aptidões técnicas). 

Desta forma, ele se torna um resolutor de problemas, alguém que entende tanto os conflitos humanos do local de trabalho quanto os operacionais. 

Ao aliar conhecimentos generalistas com investigações mais profundas, o profissional T-shaped traz consigo um conjunto único de competências e habilidades que lhe concede uma visão mais eficiente e criativa do processo corporativo. 

Algumas dessas competências e habilidades são: 

  • Além da empatia, capacidade de escuta ativa
  • Bom relacionamento interpessoal e trabalho em equipe;
  • Flexibilidade e adaptabilidade;
  • Quebra do comodismo e do conceito de zona de conforto;
  • Inteligência emocional e resiliência;
  • Constante auto-avaliação e auto-crítica;
  • Objetivos profissionais bem traçados e definidos;
  • Estar sempre disposto a aprender e nunca parar de estudar (lifelong learning). 

Com tantas habilidades, é fácil compreender o motivo de um profissional T-shaped ser valioso para as empresas. No entanto, existem mais alguns aspectos que explicam de forma aprofundada essa valorização. Veja a seguir. 

Por que esse profissional T é tão valorizado pelas empresas?

Além das habilidades mencionadas, o profissional T-shaped é valorizado pelas empresas por conta da autonomia e da segurança que ele traz para os processos internos e externos.

Isso acontece porque o profissional T-shaped tem uma visão macro da área em que a empresa está inserida. Ele é capaz de adaptar sua comunicação para lidar com qualquer colaborador, independente do setor ou da posição. 

Em adição a isso, por conhecer os processos de forma abrangente, o profissional T possui independência dos demais membros da equipe. Ele pode, inclusive, substituir outros funcionários e executar suas funções no caso de uma emergência. 

Em suma, o profissional T é treinado na complexidade das relações de trabalho. O sociólogo francês Edgar Morin, em sua teoria da complexidade, explica: 

“O pensamento complexo tem como fundamento formulações surgidas no campo das ciências exatas e naturais, como as teorias da informação e dos sistemas e a cibernética, que evidenciaram a necessidade de superar as fronteiras entre as disciplinas.”

Ou seja, o profissional T-shaped entende que é preciso quebrar as fronteiras entre as disciplinas e aplicar uma abordagem multidisciplinar nas relações interpessoais e de trabalho. Por essa razão, acaba sendo um profissional singular, de perfil desejado. 

A empresa que possui profissionais T-shaped em seu quadro de funcionários acaba tendo grandes vantagens em relação à concorrência. No próximo bloco, entenda qual o impacto dessas vantagens. 

Quais os impactos do profissional T-shaped para o mercado de trabalho e para as empresas?

O primeiro impacto que o profissional T-shaped proporciona para as empresas no mercado de trabalho é uma entrega de resultados mais veloz e eficiente. Isso acontece porque ele é capaz de integrar as equipes e os projetos com facilidade. 

Essa facilidade vem do fato de que o profissional T-shaped consegue identificar as necessidades, as lacunas e as deficiências de cada setor e agir sobre elas. 

Mais do que isso, ele não só é capaz de identificá-las, mas conversar com os times e ajudá-los a tirar suas dúvidas e se posicionarem no caminho certo. Um profissional T atua como uma fusão entre um gestor e um consultor de produtividade nesses casos. 

E por falar em produtividade, esse é outro ponto que o profissional T influencia nas empresas. Ao alinhar as equipes e preencher as defasagens, cada colaborador opera no auge de sua capacidade, o que melhora o desempenho como um todo. 

Após todos os pontos levantados até o momento, resta apenas entender como surgem esses profissionais e o que você pode fazer para se tornar um. Veja mais no fim do artigo! 

Como as empresas podem ajudar a desenvolver profissionais T-shaped?

imagem de uma mulher sentada na frente de um computador e escrevendo em um caderno

Para desenvolver profissionais T-shaped, as empresas precisam investir nos seus funcionários. O maior desafio para alcançar esse nível é o tempo. São necessárias muitas horas de teoria e prática para se tornar um profissional T. 

Portanto, não adianta ser imediatista. Investir no colaborador leva tempo e tem seu custo. É preciso que a empresa estabeleça um acordo, um vínculo com o funcionário para que o crescimento seja mútuo. 

Mas, entender e valorizar o capital humano dentro da empresa vai além de tempo e dinheiro. Existem outros fatores a se considerar, tais como: 

  • Cultura empresarial: a empresa precisa abraçar a cultura T. De forma geral, deve-se incentivar os funcionários a estudarem e se aprimorarem sempre, seja por conta própria ou através de programas de capacitação e treinamento; 
  • Construção de relacionamentos: tal como nos esportes, as equipes trabalham melhor dentro da empresa quando há entrosamento e união. Quando o objetivo é construir relações humanas, a empresa ajuda a desenvolver a maior habilidade do profissional T: a empatia; 
  • Investimento em inovação e tecnologia: não adianta desejar profissionais T-shaped trabalhando na empresa se os sistemas e os processos são ultrapassados e obsoletos. É preciso repaginar todo o operacional para construir esses profissionais. 
  • Descompartimentalizar a empresa: se a palavra que define os profissionais T-shaped é a multidisciplinaridade, é necessário incentivar os colaboradores a verem a empresa como um todo, não como partes separadas e sem conexão. 

Com tanto investimento, as empresas esperam de seus profissionais T-shaped algum retorno. Portanto, veja a seguir os benefícios que eles trazem! 

Quais os benefícios? 

Os benefícios que o profissional T-shaped traz são representados pelos três R: receita, reconhecimento e resultados. 

No que diz respeito à receita, com a reformulação das equipes e aumento da produtividade, o lucro também cresce. O reconhecimento vem tanto de forma interna quanto externa, traduzido na eficiência de todos os setores trabalhando em conjunto. 

E os resultados, por sua vez, são fruto do trabalho do profissional T-shaped colhido em conjunto com os parceiros e os líderes. Trata-se do que é material, o que se mede e contabiliza ao final de cada projeto. 

Para que os três R possam existir, o profissional T-shaped é a peça-chave no centro de todas as relações. Mas o que ele faz, afinal? Entenda suas funções cotidianas na prática.

O que, de fato, faz um profissional t-shaped?

Na prática, o profissional T-shaped usa habilidades bastante simples em seu cotidiano: falar, ouvir e analisar. Esses três verbos compõem a pirâmide que contém as soft skills e as hard skills mencionadas anteriormente. 

A fala é essencial para dar noções, direcionamentos e resolver conflitos entre as equipes. O profissional T ajuda a traduzir a visão da liderança e entregar as metas aos colaboradores de forma simples de entender. Não é preciso ser bom orador, apenas saber se comunicar. 

No campo da escuta, saber ouvir de forma ativa (não para responder, mas para entender) é o diferencial desse profissional. Através de práticas colaborativas e empáticas, a meta é se conectar com os membros da equipe e entender quais são as suas necessidades. 

Quanto à análise, ao acessar seus conhecimentos abrangentes e específicos, o profissional T-shaped tem acesso a uma visão única que combina o macro e o micro. Ele enxerga soluções onde mais ninguém vê, sendo capaz de trazer pioneirismo à empresa. 

Conclusão

imagem de dois homens sentados de frente para um computador conversando

Os profissionais T-shaped são reconhecidos como os empreendedores da nova economia. O Sebrae classifica o empreendedor como: um realizador que produz novas ideias através da congruência entre criatividade e imaginação

Ou seja, pensar fora da caixa, buscar soluções onde ninguém mais viu, ter coragem e autonomia para perseguir seus objetivos e estar em constante autoquestionamento. Essas são algumas das características mais marcantes de um profissional T-shaped. 

A tecnologia e a globalização trouxeram novas demandas para o mercado, tornando as relações de trabalho muito mais complexas. Porém, ao mesmo tempo, uma nova era de humanização e empatia no trabalho se inaugurou. 

Portanto, é necessário um profissional que entenda os dois mundos: o do saber e o do sentir; alguém que transcende a graduação tradicional, fragmentada por disciplina, e consegue compreender e tirar sentido do todo. Esse profissional é T-shaped. 

Gostou do conteúdo? Então, compartilhe em suas redes sociais e continue acompanhando o blog da PontoTel

controle de jornada digital e gestao de pessoas
Compartilhe em suas redes!
Rolar para cima