IoT:  entenda o que é a Internet das Coisas, como funciona e a sua importância!

imagem de uma pessoa estendendo as mãos com hologramas em cima delas

Internet das Coisas ou IoT: com certeza, você já deve ter utilizado essa tecnologia antes. É um termo que vem sendo utilizado para nomear um conceito e uma revolução que tem como objetivo conectar objetos à internet.

Tal conexão é capaz de trazer mais inteligência, produtividade e facilidade nas operações, sejam elas corporativas ou industriais, em pequenos objetos ou em grandes máquinas, em cidades ou até mesmo dentro de casas.

A IoT faz com que os mundos físicos e digitais se tornem uma coisa só. Ela pretende, ainda,  que essa combinação consiga romper todos os limites do ser humano, aumentando sua capacidade de gestão, escalando resultados e melhorando indicadores.

Ficou curioso para saber mais sobre IoT? Confira os tópicos que iremos abordar ao longo do texto:

Aproveite o conteúdo e boa leitura!

banner como funciona o software de ponto mais completo

O que é IoT?

imagem de uma pessoa com as mãos abertas e um holograma no meio

IoT é uma sigla em inglês que significa “Internet of Things” que, na tradução para o português, significa: “Internet das Coisas”. Um conceito que tem se popularizado e abrange a formação de rede e a conexão de objetos à internet.

Ao serem conectados, estes objetos transmitem dados que podem facilitar a vida de quem os utiliza. Neste sentido, a internet é capaz de conferir novas possibilidades a eles, potencializando seu uso a dispositivos, trazendo grandes impactos à forma que vivemos.

O conceito é relativamente novo. Apesar da ideia ser discutida desde 1991, foi em 1999, no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos Estados Unidos, que o britânico Kevin Ashton criou o que é IoT.

Hoje, mais de 20 anos depois, estima-se que há mais de 10 bilhões de dispositivos IoT no mundo inteiro. Desde geladeiras inteligentes até dispositivos que, se conectados à internet, fazem a gestão de frotas, automatizam lavouras e até aumentam a produtividade de máquinas industriais.

Qual a importância da Internet das Coisas?

Essa rede gigante criada pela IoT tem mudado a forma como lidamos com informações e interações no mundo atual. Ela facilitou e trouxe inteligência às operações e aos processos.

Com a IoT, pessoas e empresas têm mais informações e melhores compreensões da realidade. Desta forma, as decisões ocorrem de forma mais efetiva e segura, pois são sempre baseadas em dados fornecidos pelos dispositivos conectados.

A IoT torna possível que novos serviços e novos nichos de mercado sejam criados. Além disso, inovação e valor agregado são outros pontos importantes que a interconexão conseguiu trazer em nosso dia a dia.

Aplicativos de IoT: o que são?

Em uma casa, há, por exemplo, um sistema de energia conectado à internet, que monitora gastos, acende as luzes quando for necessário e as apaga assim que não houver mais necessidade. Já na a empresa, há dispositivos que são capazes de monitorar o funcionamento de uma máquina. 

Mas como é possível controlar essas operações?

Os apps de IoT são essenciais para este trabalho! Eles dão um overview sobre a atividade e lançam informações que podem resultar em insights importantes para a tomada de decisões. Tudo, literalmente, acontece na palma da sua mão.

Além disso, os aplicativos também dão ao usuário a flexibilidade de acessar, comandar atividades e realizar o monitoramento de qualquer lugar. Para isso, os apps precisam funcionar em tempo real e devem ser sempre um complemento ao dispositivo inteligente que está realizando as funções.

Os dispositivos capazes de enviar os dados a esses aplicativos podem ser diversos, ou melhor, podem ser qualquer “coisa” como: carros, geladeiras, máquinas, ar condicionados, lâmpadas, computadores, sensores etc. Basta haver a possibilidade da implementação de um hardware capaz de coletar e transmitir dados.

Como a IoT ajudou a evoluir as tecnologias?

Automatizar, facilitar, integrar e gerar informações são algumas das contribuições da Internet das Coisas à tecnologia. A partir dela, os processos se tornaram mais conectados, eficientes e práticos e ajudaram a evoluir as tecnologias já existentes.

Tais ferramentas autônomas deram a possibilidade, por exemplo, de que colaboradores foquem em atividades menos operacionais e mais estratégicas, visto que a IoT pode se ocupar de desempenhar atividades manuais e repetitivas.

A evolução proposta pela IoT ajudou, ainda, a sociedade a passar com resiliência por um dos períodos mais difíceis da história moderna: a pandemia da COVID-19. A Internet das Coisas resolveu, por muitas vezes, o problema do isolamento social ao permitir o gerenciamento remoto das atividades.

Conectividade

A conectividade é o cerne da IoT. Afinal, para ela funcionar de maneira perfeita é preciso que tudo esteja integrado. É como se todos os dispositivos que fizessem parte daquele arranjo “falassem a mesma língua”.

Ao se comunicarem, softwares, sensores e outras tecnologias com o objetivo de conectar e trocar dados e informações com outros dispositivos, contribuem para o resultado de determinado trabalho.

Tecnologia de sensores

É uma das tecnologias que mais contribuem para que a IoT se torne realidade. Eles são os dispositivos utilizados para colher as informações do meio ambiente e gerar os sinais de controle e de ação.

As informações coletadas por esses sensores são transmitidas pela internet e desencadeiam as atividades necessárias aos atuadores, que são componentes mecânicos, elétricos ou digitais que desempenham a função proposta.

Sensores de movimento físico, sensores de proximidade, sensores de gás, sensores de nível, sejam eles passivos ou ativos, são alguns dos exemplos de conversores de estímulos para sinais capazes de eliciar respostas em um sistema conectado por IoT.

Machine Learning

Machine Learning é um conceito de Inteligência Artificial que, por meio de dados, busca ensinar as máquinas por meio de experiência. Ou seja, após uma análise técnica, a máquina é capaz de identificar padrões e aprender a se “comportar” de acordo com sua funcionalidade e objetivo.

Em um ambiente conectado, a IoT funciona como uma fonte de dados para que o “Machine Learning” aconteça. Ao fornecer informações, o dispositivo aprende e é capaz de ler a rotina daquela atividade, prevendo melhorias e até evitando erros.

Inteligência Artificial

É bem comum que haja confusão entre os termos, mas a IoT e Inteligência Artificial não são a mesma coisa. Elas coexistem e é difícil explicar um dos conceitos sem falar no outro.

Para que a IA exista, é preciso de dados que só são gerados e transmitidos se a IoT desempenhar bem seu papel. Já a IoT precisa da IA para conseguir analisar os dados que foram coletados de forma autônoma, sem precisar da intervenção humana.

Plataformas em nuvem

imagem de uma pessoa encostando em um holograma de nuvem

As plataformas em nuvem também são muito importantes para a Internet das Coisas. Um sistema integrado precisa de um “lugar” para armazenar as suas informações e integrar todos os processos. 

Para ser eficiente, a plataforma ou software em nuvem deve ser bem projetada e escolhida. Há várias opções no mercado que atendem à arquitetura da IoT e que possibilitam que o trabalho seja desenvolvido.

O que é IoT computacional?

Recentemente, uma nova abordagem de IoT tem sido relevante: são os dispositivos chamados de edpoints ou de IoTs computacionais. Eles diferem das IoTs tradicionais, pois não dependem de nuvem.

Ao serem capazes de gerenciar as informações neles mesmos, ele geram respostas e ações mais rápidas e se tornam mais seguros, já que os dados não saem de dentro do dispositivo.

Há cidades inteligentes, por exemplo, em que câmeras com forte capacidade computacional não apenas coletam imagens e dados, mas também já enviam as informações analisadas aos controladores de tráfego. 

IoT vs IIoT: qual a diferença?

As duas tecnologias líderes quando se fala de revolução digital também causam confusão por terem termos e siglas tão parecidas. Mas a diferença é simples de ser explicada. A IoT é a “Internet das Coisas”, já a IIoT, com um “I” a mais, é a sigla que nomeia a “Industrial Internet of Things”, em português: a “Internet Industrial das Coisas”.

Enquanto a IoT engloba diferentes setores (cidades inteligentes, agricultura, tráfego e transporte), a IIoT é focada em soluções industriais que visam melhorar a comunicação de dados entre máquinas e usuários a fim de otimizar continuamente os resultados de uma empresa.

Vantagens da tecnologia IIoT

Há várias vantagens que a tecnologia IIoT entrega aos usuários dentro de uma indústria. Por meio da integração, é possível criar fábricas inteligentes, que garantem melhor eficácia, produtividade e impactam até na segurança e saúde dos trabalhadores.

Os ganhos podem ser vistos em uma produção mais econômica, visto que dados podem indicar possíveis melhorias no melhor gerenciamento da energia, já que gerentes podem ver detalhes sobre o consumo de cada máquina e na manutenção preditiva, pois a IIoT auxilia a visualizar possíveis problemas e evitá-los, ganhando tempo e dinheiro.

Além disso, em um ambiente industrial, a IIoT também possibilita, o controle remoto das operações por meio de dashboards ou apps, a segurança tanto das operações quanto das informações e evita períodos de inatividade.

Quais os setores que mais se beneficiam com a IoT?

imagem de uma mulher mexendo em um tablet

Em um mundo moderno, em que há conexão com a internet, é possível que haja soluções em IoT para vários setores. Dentre os que mais se beneficiaram e se beneficiam atualmente estão:

  • Agricultura: por meio de dispositivos capazes de rastrear e controlar a quantidade de insumos, gerir territórios e o abastecimento de água;
  • Gestão de frotas: IoT melhora a comunicação nas malhas viárias como aéreas ou ferroviárias e controlando o gasto de combustíveis;
  • Hospitais: a conexão permite gerenciar respiradores, analisar recuperação de pacientes e programar intervenções e monitorar casos remotamente e com segurança;
  • Segurança: por meio da internet, é possível ter registro de entrada e saída, envio de notificações quando algo não está de acordo com o esperado etc;
  • Ambientes inteligentes: com monitoramento de luzes, temperatura, limpeza e outras ativações de acordo com a preferência do usuário.

Conclusão

Neste artigo, você entendeu o que IoT é e todo o conceito que existe por trás deste termo. Descobriu também que ela é responsável por muitos dos avanços tecnológicos que presenciamos e usufruímos ultimamente no mundo.

Afinal, com dispositivos corretos, sensores, nuvem e um gerenciador é possível otimizar as atividades e os resultados de vários setores da sociedade, desde cidades inteligentes até hospitais. Todos se beneficiam com a maior conexão e comunicação entre as coisas!

Você soube também que há uma IoT específica para o ambiente industrial, que é a IIoT. Ela reduz custos e aumenta a eficiência e produtividade, de acordo com o que se espera da Indústria 4.0.

E você sabia que quando falamos em gerenciamento de pessoas, há soluções em IoT que podem facilitar e muito a rotina administrativa de um RH/DP, como por exemplo, o gerenciamento de ponto e de pessoal de forma digital e inteligente?

O sistema da PontoTel é um exemplo disso: ele integra e calcula os dados colhidos através do registro de ponto que mantém os dados salvos em nuvem, e que podem ser conferidos por meio de um aplicativo. Quer entender melhor como funciona a solução PontoTel? Agende uma demonstração através do formulário abaixo! 

E se você gostou deste assunto, visite o blog da PontoTel e confira muitos outros conteúdos sobre tecnologia e gestão. 

controle de jornada digital e gestao de pessoas
Compartilhe em suas redes!
Rolar para cima