Descubra quais os impactos diretos da diversidade e inclusão social nas empresas, e como promover na prática!

imagem de duas mãos enconstando uma na outra se cumprimentando

O consenso quase comum de que locais de trabalho diversificados são benéficos e essenciais para os negócios têm alavancado a questão da diversidade e inclusão nas empresas, gerando ações positivas como nunca antes. 

Esta é uma pauta que está presente na sociedade atual e muitas companhias entenderam a dimensão do assunto e já colhem os benefícios de promover a diversidade e inclusão.

Entenda o que significa promover diversidade e inclusão nas empresas, saiba quais são os passos fundamentais para criar um ambiente de trabalho mais inclusivo e diverso e descubra quais são os desafios a superar nessa jornada.

gestao de jornada e redução de custos

Diversidade e inclusão social nas empresas

Além da transformação digital, pela qual todas as empresas estão passando nos últimos anos, existe uma outra transformação, de ordem cultural, que busca promover um conceito cada vez mais importante para qualquer setor: a inclusão nas empresas.

Conforme a sociedade discute questões sociais com frequência, era de se esperar que as empresas não ficassem fora disso. 

Por isso, a cada dia mais empresas lançam programas de diversidade e inclusão social, em busca de estar alinhado com as demandas da sociedade. 

Diversidade e inclusão nas empresas: importância

imagem de três homens sentados em duas mesas trabalhando e conversando

A inclusão da diversidade não deve ser atrelada apenas à legislação brasileira em relação à contratação de pessoas com deficiência. Porém, é essencial conhecer e cumprir a lei.

Segundo o artigo 93 da Lei nº 8.213/91, a empresa com 100 ou mais funcionários está obrigada a preencher de 2% a 5% dos seus cargos com beneficiários reabilitados, ou pessoas portadoras de deficiência, na seguinte proporção: 

Até 200 funcionários – 2%
De 201 a 500 funcionários – 3%
De 501 a 1.000 funcionários – 4%
De 1.001 funcionários em diante – 5%

Mas a importância da diversidade e inclusão nas empresas não deve ficar atrelada apenas à legislação. Hoje, quando falamos em ter diferentes perfis de funcionários, queremos dizer que é necessário que o time da empresa tenha representatividade compatível com a diversidade da população a qual está inserida.

Ter essa fusão, permite que a empresa se torne mais plural e democrática. O resultado dessa mistura traz benefícios tanto para toda a organização quanto para os colaboradores.

Por que promover a diversidade e inclusão na empresa?

A empresa que consegue ter em seu quadro de colaboradores com diferentes pensamentos, culturas, etnias, opiniões e deficiências se torna mais plural e democrática, e aproveita diversas vantagens.

Dentre elas estão:

Aumento dos lucros e da competitividade

Os negócios que investem na inclusão da diversidade atraem os melhores profissionais e estes se preocupam ainda mais com a experiência do cliente devido à identificação com os consumidores e a comunicação com diferentes perfis de clientes. 

Quanto maior a diversidade em uma empresa, maior é o seu alcance, porque ela consegue oferecer produtos e serviços personalizados para todo o tipo de pessoa. Tudo isso aumenta o faturamento e ainda faz com que a empresa se destaque perante à concorrência.

Mais criatividade e inovação

A soma de vivências e experiências em uma empresa diversa promove a resolução de problemas de forma mais rápida e simples. O confronto de opiniões contribui para a melhor tomada de decisões e o desenvolvimento de soluções “fora da caixa”, que são criadas a partir de opiniões e pontos de vista diferentes. A criatividade e a inovação, portanto, são resultados inevitáveis e extremamente bem-vindos para empresas que investem na diversidade.

Maior engajamento e colaboração

Quando uma empresa abre suas portas para a diversidade, ela muda sua cultura organizacional para uma mentalidade mais receptiva, e isso é percebido pelos funcionários. Quando a organização valoriza as diferenças, seus funcionários se sentem mais à vontade para trocar ideias, aprender e ensinar, criando um ambiente extremamente colaborativo, com profissionais motivados e engajados.

Mais visibilidade e aceitação

Quando uma empresa cumpre seu papel social e adota uma postura voltada à diversidade, ela passa a ser bem vista por consumidores, clientes, fornecedores e parceiros, além de seus próprios colaboradores, que se sentem representados e pertencentes àquela organização. 

A inclusão e a diversidade nas empresas aumenta também a aceitação e admiração bem como o interesse da sociedade como um todo na marca, inclusive em seus produtos e serviços.

Qual a diferença entre diversidade e inclusão social? 

Os temas são realmente diferentes, e é muito comum confundi-los. Para exemplificar de forma lúdica e trazer para uma realidade mais prática, pense o seguinte: a diversidade é convidar todos os tipos de pessoas para uma festa, a inclusão é chamar essas pessoas para dançar.

E você pode colocar este cenário na festa da sua empresa. Responda essas perguntas para saber se em um cenário de festa, como exemplificado, a sua empresa é inclusiva: 

Todos são convidados? Como são as festas da sua empresa? Nelas, existem todos os tipos de “dançarinos”? Todos são chamados para a pista? E ainda: todos têm roupas adequadas para a festa e sabem dançar conforme a música?

Vamos separar o joio do trigo aqui para não ter confusão:

O que é diversidade?

A diversidade pode ser definida como um conjunto de diferenças e semelhanças que definem as pessoas e as tornam únicas, segundo seu gênero, etnia, orientação sexual, idade, religião, nacionalidade ou deficiência.

A diversidade nas empresas, portanto, é reunir pessoas que sofrem algum tipo de rejeição em razão de sua classe social, gênero, etnia, deficiência, religião e outras questões que servem de gatilho para o preconceito e a intolerância.

E quando falamos em diversidade, precisamos ser plurais, de verdade, incluindo negros, mulheres, o público LGBTQIA+, pessoas com deficiência, indígenas etc. Devemos também nos lembrar que existe, infelizmente, preconceito em relação à escolaridade, nacionalidade, idade, aparência, peso e religião.

O que é inclusão?

O conceito de inclusão diz respeito ao conjunto de meios e ações que combatem a exclusão aos benefícios da vida em sociedade, provocada pelas diferenças de classe social, educação, idade, deficiência, gênero, preconceito social ou preconceitos raciais.

Inclusão é oferecer oportunidades iguais de acesso a bens e serviços a todos.

A inclusão nas empresas refere-se a inserção e valorização de toda e qualquer pessoa que enfrenta barreiras na sociedade por questões históricas e/ou sociais.

Agora sim, você não vai mais confundir os conceitos.

Quais os principais grupos de diversidade e inclusão nas empresas?

Além de complexos, estes pontos podem ter fatores ainda mais complicadores, pois existem alguns grupos de diversidade. Isso se dá porque cada pessoa pode se entender a partir de vários aspectos.

Existem pelo menos 5 grupos que são mais familiares nas discussões e no estabelecimento de ações de diversidade e inclusão dentro das empresas, os mesmos são conhecidos também como grupos (ou comitês) de afinidade ou ERG (Employee Resource Groups), em inglês.

O lugar de fala é o que importa aqui, pois não basta somente unir pessoas que pensam de modo diferente, mas que tenham uma vivência na qual se identifiquem com os demais a fim de compor times capazes de somar propostas e estratégias de diferentes pontos de vista e que possam analisar os cenários sob prismas distintos e complementares.

Gênero 

Os times devem ser integrados por homens, mulheres, homossexuais, transgêneros e não binários que desfrutem dos mesmos direitos, deveres e oportunidades de crescimento.

As remunerações nunca devem ser estabelecidas levando este e nenhuma destas outras características em questão. No Brasil, a disparidade de gênero ainda é alarmante: segundo o IBGE, mulheres ainda ganham 20,5% menos do que homens somente por serem mulheres.

Orientação Sexual

Tenha atenção também quanto à orientação sexual e identidade de gênero, promovendo ações que levem à conscientização a seus profissionais. Apesar de um amplo acesso à informação, ainda há muita confusão quanto ao significado desses termos.

Enquanto a orientação sexual indica por quais sexos a pessoa se sente atraída, a identidade de gênero refere-se ao próprio gênero com o qual ela se identifica. Se um indivíduo se identifica com o gênero com o qual foi designado no nascimento, é cisgênero. Caso contrário, é transgênero.

Não basta apenas trazer essas pessoas para dentro de sua empresa. É preciso orientar os outros profissionais para que não haja situações de constrangimento e de preconceito.

Etnia

Em seu processo de recrutamento e seleção, é fundamental considerar diferentes etnias para que seu quadro de colaboradores seja mais amplo. Assim, você também oferecerá oportunidades para pessoas que enfrentam mais dificuldade para ocupar uma posição no mercado.

A partir dos dados obtidos em um mapeamento, por exemplo, verifique se as etnias estão entre as informações identificadas para melhorias. Só então, será possível equilibrar a representatividade de diferentes grupos na empresa.

PCD

Realizar a contratação de pessoas com deficiência (PCDs) exige preparo por parte da empresa.

Afinal, é preciso adaptar a organização para receber esses colaboradores, tanto no que se refere ao aspecto físico (para o caso dos cadeirantes) quanto à perspectiva profissional (disponibilizar intérpretes de libras nas entrevistas, por exemplo).

Idade

A idade, apesar de ser uma preocupação pouco efetiva nas empresas, enquadra-se como um tipo de diversidade.

Inclusive, investir na troca de conhecimento entre diferentes gerações só tende a agregar para o negócio, uma vez que isso traz debates mais ricos e conclusões mais eficazes para os objetivos preestabelecidos pela organização.

Qual a importância da equidade dentro de uma organização?

imagem de um grupo de pessoas trabalhando em um escritório

Equidade resumidamente está relacionada ao tratamento justo e uniforme de todos os sócios e demais partes interessadas, considerando os seus direitos, deveres, necessidades, expectativas e interesses.

É normal que ao se pensar nesse princípio da governança corporativa venha à mente os demais princípios porque, claro, são indissociáveis.

Esse tratamento igualitário e justo às partes interessadas deve se estender a todos os grupos: colaboradores, clientes, fornecedores, investidores, entre outros.

Ao criar um ambiente de equidade, lembre-se também de que se cada empresa é única. Todo programa precisa levar em conta a cultura e o contexto específicos da organização.

Quais os impactos diretos da inclusão e diversidade nas organizações? 

Diversidade e inclusão são conceitos fundamentais para gerar inovação dentro das empresas. Pensar em diversidade e inclusão é, também, pensar de forma estratégica, agregando desenvolvimento, valor de mercado e crescimento organizacional.

Um levantamento de 2017 da consultoria McKinsey apresenta que empresas com maior diversidade de gênero em suas equipes executivas são 21% mais propensas a ter lucratividade acima da média.

Principais desafios das organizações

A diversidade e a inclusão são temas urgentes dentro das organizações. É muito comum que essa urgência possa gerar certa ansiedade em querer aplicar rapidamente políticas na organização.

Apesar dessa ansiedade ser um combustível que faz com que essas mudanças realmente aconteçam, é importante ter calma e paciência para entender que transformações não acontecem do dia para noite.

Portanto, é fundamental estruturar os processos, definir objetivos e estabelecer metas. Como qualquer outra ação estratégica dentro da empresa, é necessário planejamento, foco e mensuração. Caso contrário, podem se tornar apenas projetos que nunca saíram do papel

Mas, romper com as mazelas estruturais que possuímos tais como o machismo, racismo, homofobia e outras formas de preconceito enraizadas na sociedade é um dos maiores desafios para o avanço da diversidade nas empresas.

Como promover diversidade e inclusão na sua empresa?

Conhecendo as vantagens da diversidade e inclusão, vem a pergunta: Ok, mas como passar por cima destes desafios e construir uma empresa com equipes mais inclusivas?

Não existe uma receita, pois como mencionado mais acima, cada empresa tem sua realidade, contexto e time de colaboradores.

Mas o primeiro passo é criar um ambiente seguro aos colaboradores, para que você consiga promover um diagnóstico e obtenha respostas sinceras para as perguntas sobre as características diversas autodeclaradas dos colaboradores e também sobre o quão inclusivos e acolhedores são os ambientes em que elas estão inseridas.

Procure fazer um mapeamento de toda a empresa, dos líderes aos estagiários e terceirizados, se possível.

E faça tudo em concordância com a LGPD e, principalmente, respeitando a privacidade de cada colaborador.

Exemplos de empresas que promovem diversidade e inclusão

Grandes corporações estão se adequando a esta realidade e puxando o movimento para que cada vez mais empresas façam o mesmo, veja alguns exemplos de grandes empresas que já promovem diversidade e inclusão:

1. PepsiCo

A PepsiCo tem iniciativas internacionais de promoção à diversidade, como a “He for She”, que determina que homens e mulheres tenham a mesma responsabilidade para alcançarem a equidade de gênero.

Mas a empresa não para por aí e coloca o assunto em prática: cerca de 40% da liderança sênior atual é composta por mulheres. Além disso, há o foco no incentivo de uma cultura organizacional plural, com destaque para as iniciativas de desenvolvimento das funcionárias. Existem outros programas similares na empresa voltados para os profissionais LGBT e millennials, assim como demais públicos distintos que compõem o quadro de colaboradores.

2. PwC

A PwC tem em seu presidente, Bob Moritz, o principal estimulador da diversidade na corporação. Quase metade das atividades filantrópicas promovidas pela organização estão relacionadas a ONGs diversas, como a Associação Nacional de Contadores Negros e a Inroads, que cuida do desenvolvimento e profissionalização de jovens desfavorecidos.

3. Ernst & Young

Na Ernst & Young existe a preocupação em prover uma infraestrutura que favoreça o desenvolvimento de pessoas de origem menos favorecida. A empresa promoveu o programa “Liderança Importa”, conduzido pelos profissionais mais jovens e pela equipe de inclusão da empresa.

4. Sodexo

A discussão sobre a diversidade surgiu em 2013 na Sodexo, e se pauta na organização de grupos heterogêneos para debater temas como universo gay, transexual e transgênero. 

Além disso, há uma preocupação constante com a presença da figura feminina dentro da corporação, como entender a sua atuação e suas dificuldades.

Na filial brasileira, algumas práticas foram adotadas seguindo as mudanças da empresa em outros países. No preenchimento da ficha cadastral, por exemplo, não é mais questionado o sexo do funcionário, e sim o gênero com o qual se identifica.

5. Johnson & Johnson

Todos os fornecedores e terceirizados da Johnson & Johnson precisam provar suas ações em prol da promoção da diversidade em suas políticas internas. Essas ações incluem empresas comandadas por veteranos ou pessoas LGBT, por exemplo.

Dos 13 executivos que ocupam cargos de direção na companhia, encontramos 3 negros, 3 mulheres e um latino.

Como a diversidade e inclusão ajudam a melhorar o clima na empresa?

Como pode ver, muitas empresas já têm trilhado essa jornada, e tantas outras estão iniciando nesse processo.

Incentivar e aplicar políticas de diversidade e inclusão traz para a empresa múltiplos benefícios e resultados como, por exemplo:

Time entrosado e engajado

Combinar diferentes culturas proporciona experiências únicas que agregam valor, melhoram a convivência e permitem a troca de aprendizado. Ter acesso a diferentes pontos de vista e ouvir opiniões diversas ajuda a “pensar fora da caixa” e ampliar a criatividade.

As equipes de trabalho começam a desenvolver soluções diferentes para atender os clientes que, assim como elas, também são diversificados e têm necessidades diferentes.

A rotina de trabalho também muda, com sugestões que agregam valor às atividades, tornando a realização das tarefas diárias mais produtiva e agradável.

Equipes colaborativas

De acordo com a pesquisa Diversity Matters, da consultoria McKinsey, quando comparados a funcionários de companhias que não se atentam à inclusão, aqueles que trabalham em organizações diversas consideram ter espaço para propor novas maneiras de executar tarefas (152% mais) e reparam que a empresa utiliza feedback de clientes para melhorar o atendimento (76%).

Os líderes também têm 80% mais chances de promover confiança e diálogo aberto, com 73% maior probabilidade de desenvolver uma cultura que beneficie o trabalho em equipe e 66% de promover a inovação.

Conclusão

imagem de três homens sentados ao redor de uma mesa e outro homem em pé ao lado

Com tanta informação, é necessário que cada empresa precise compreender o seu desafio de diversidade e inclusão, se orientar por dados e não fazer por modismo, do contrário não será efetivo.

É preciso buscar formação sólida para iniciar um projeto como esse que demandará estratégia, plano de ação, metas, o acompanhamento desses funcionários, entre outros.

Assim, a adoção de diversidade e inclusão nas empresas se apresenta como vantagem competitiva que, além de assegurar vantagens para colaboradores, também apresenta resultados de sucesso para a empresa!
Se gostou deste artigo, compartilhe em suas redes sociais e acompanhe o blog da PontoTel para mais informações sobre: gestão de pessoas, RH, gestão de ponto e controle.

controle de jornada digital e gestao de pessoas
Compartilhe em suas redes!
Rolar para cima