Cultura organizacional: o que é, qual sua importância, como inserir na empresa e exemplos de como aplicar na prática!

imagem de um grupo de pessoas sentado ao redor de uma mesa estendendo as mãos para cima

Cada vez mais, os profissionais estão buscando oportunidades de emprego em empresas nas quais tenham identificação com a missão, valores e propósitos do negócio. A cultura organizacional se tornou um dos critérios de avaliação dos melhores talentos do mercado de trabalho. 

Oferecer uma boa remuneração e benefícios para os colaboradores não é suficiente para que muitos profissionais se mantenham em uma companhia ou escolham trabalhar para ela. Os funcionários querem ter a sensação de pertencimento e ainda mais, de enxergarem que seus objetivos convergem com os da instituição.

Por isso, entender e promover uma cultura organizacional que engaje os profissionais na empresa é essencial para realizar uma boa gestão de pessoas e alcançar os resultados esperados.

Para entender qual o significado de cultura organizacional acompanhe o artigo. Iremos discutir:

Gostou do tema e quer saber mais? Então, continue a leitura!

banner resolver problemas com escalas de trabalho

O que é cultura organizacional?

imagem de duas mulheres e dois homens sentados ao redor de uma mesa sorrindo e conversando

Para saber como construir a cultura organizacional do seu negócio, é essencial entender o que significa esse termo do mundo corporativo. Não existe uma definição única do que é, mas sim uma compreensão geral do que é vivenciado na prática. 

Para entender como ela se aplica no mundo dos negócios, é importante saber o que é cultura de maneira geral na sociedade. Ela é definida como o conjunto de tradições, comportamentos, crenças, costumes, sotaques e conhecimento das pessoas que vivem em uma determinada região. 

Como traços culturais podemos incluir o idioma, música e arte local, religião, comidas típicas, entre outros fatores.

Logo, em geral, a cultura organizacional, corporativa ou empresarial pode ser definida como o conjunto de crenças, normas, diretrizes e hábitos praticados por uma empresa. Para que ela seja clara e eficiente, é necessário que seja compreendida e aplicada por todo o quadro de funcionários, principalmente, pela liderança.

Ela servirá como base ou um guia para a tomada de decisão e comportamento em todos os setores da empresa, pois, além de precisar espelhar a forma como é vista pelos colaboradores, ainda deve passar ao público externo quais são os valores, a missão e o propósito da companhia. 

Importante ainda lembrar que a forma como a organização se relaciona com os clientes também é influenciada pela cultura organizacional.

A falta de uma cultura organizacional bem estruturada e compreendida pelos colaboradores pode impactar negativamente em vários aspectos como alta rotatividade de funcionários, baixa produtividade, falta de credibilidade no mercado, entre outros problemas relacionados à identidade corporativa.

Cultura organizacional segundo Chiavenato

Um dos autores que buscou definir o significado de cultura organizacional é Idalberto Chiavenato, ele é um dos escritores mais conceituados da área de Administração de Empresas e Recursos Humanos.

Para ele, a cultura organizacional tem um papel fundamental na motivação dos trabalhadores. Em um de seus livros, o autor defende que uma empresa precisa investir em seu público interno para obter sucesso, pois os colaboradores são os principais responsáveis pelos resultados e, consequentemente, pelo crescimento do negócio. 

Logo, apostar em uma cultura organizacional forte é uma das atitudes mais importantes para que o profissional tenha motivação no trabalho e satisfação de fazer parte deste grupo, como afirma no trecho abaixo:

“Os indivíduos aguardam recompensas, satisfações e frustrações e, essas expectativas tendem a levar à motivação. Fatores de satisfação são os que demonstram os sentimentos mais positivos do profissional em relação ao trabalho” Chiavenato (2002)

Por isso, ter missão, valores, propósito e condutas internas bem definidas é primordial para o desenvolvimento da sua empresa e conquista dos objetivos estratégicos do negócio.

Qual a importância de uma cultura organizacional?

Como já adiantamos, a cultura organizacional define o conjunto de comportamentos, crenças e valores de uma instituição. Muito mais do que contar com bons profissionais, a gestão dos colaboradores precisa ser feita corretamente para que eles caminhem ao lado da empresa em seu propósito.

Um dos maiores erros das organizações é pregar uma cultura moderna e, no dia a dia, ter regras e exigir comportamentos antiquados, por exemplo, divulgar que apoia a qualidade de vida do colaborador, mas não permitir uma jornada flexível para que o profissional cuide da saúde física e mental.

Essa distorção entre o que é esperado do que acontece no dia a dia da companhia cria  frustração aos funcionários, que ficam desmotivados e improdutivos. Definir e aplicar uma cultura organizacional permite que todos que interajam com a companhia entendam corretamente a maneira que a empresa funciona e se posiciona.. 

Essas diretrizes auxiliam na construção da sensação de pertencimento, do senso de responsabilidade de cada colaborador e ainda ajuda cada um a entender seu papel dentro do negócio, aumentando as chances de crescimento da empresa.

Além disso, uma cultura organizacional forte também resulta em menores taxas de turnover, maior sucesso na atração de talentos, aumento da produtividade, queda do índice de absenteísmo e outros benefícios na gestão de pessoas.

Qual a diferença entre cultura organizacional e clima organizacional?

Dois conceitos que se confundem é o de cultura e clima organizacional, mas, apesar de estarem interligados, eles têm significados diferentes. A cultura organizacional é o conjunto de diretrizes para que o colaborador compreenda os hábitos e condutas esperadas pela empresa, assim como os valores e propósitos.

Já o clima organizacional está relacionado ao ambiente de trabalho e como cada profissional se sente sobre as condições oferecidas pelo empregador. Este conceito diz respeito à satisfação do colaborador sobre seu posto de trabalho, equipamentos e como se sente na interação com seus colegas, por exemplo.

O clima organizacional pode ser avaliado como positivo ou negativo, pois o profissional pode fazer essa análise de acordo com o que vivencia no dia a dia da jornada de trabalho. Vale destacar ainda que, em tempos de home office, o clima organizacional continua sendo importante, pois o colaborador vai analisar as condições e a forma como a empresa se posiciona em relação ao trabalho remoto. 

A principal diferença entre cultura e clima organizacional, entretanto, é que o segundo pode ser alterado para recuperar a motivação dos colaboradores. Para isso, é possível realizar pesquisas para entender as insatisfações e o que os profissionais acreditam que pode impactar positivamente no clima do ambiente de trabalho, na motivação e produtividade.

Cultura organizacional na empresa

Se a sua empresa não possui uma cultura organizacional estabelecida ou até mesmo fortemente presente no ambiente de trabalho, está na hora de começar a pensar qual é o conjunto de crenças, comportamentos e valores que você gostaria que fossem aplicados no dia a dia do seu negócio. Para isso, é importante entender como ela é formada e como utilizá-la na rotina da gestão de pessoas.

Como é formada?

Começar o desenvolvimento de uma cultura organizacional não é simples, especialmente, quando a empresa já está em funcionamento e, ao longo dos anos, foi adquirindo alguns comportamentos e valores involuntários. Sendo assim, alinhar às expectativas dos gestores empreendedores e do que é realizado na prática pode ser um desafio. 

O foco na formação da cultura organizacional precisa ser encontrar um caminho que atenda aos anseios de todos os envolvidos: gestores, colaboradores e clientes, por exemplo. Por isso, muito mais do que escrever qual a cultura da organização, é necessário entender o que já foi construído ao longo do tempo e como adaptá-la para construir algo mais robusto e consistente.

Alguns questionamentos podem ser feitos para auxiliar na construção da cultura organizacional como: a empresa é flexível ou tem um jeito estruturado? A gestão é centralizada ou delega demandas com facilidade? O objetivo da empresa é o foco nos lucros ou existe uma causa por trás do negócio? Valorizamos o trabalho em equipe ou destacamos o individual?

Como descrever a cultura organizacional de uma empresa?

A cultura organizacional de uma empresa abrange a definição da missão, valores, propósito e também das regras de conduta que devem ser seguidas pelos colaboradores. Por isso, para descrevê-la, é essencial que esses itens estejam claros para os gestores.

Porém, é importante lembrar que esse conjunto de comportamentos e objetivos da companhia deve ser compartilhado com os demais colaboradores e que qualquer desencontro no entendimento da cultura organizacional pode ter impacto direto nos resultados do negócio. 

Possuir a descrição da cultura organizacional é importante para guiar os novos colaboradores e se comunicar com o público externo, porém, muito mais importante que descrever a cultura organizacional, é compreendê-la para que seja condizente com a rotina da companhia e dos colaboradores. 

Por que inseri-la desde o processo de recrutamento e seleção?

Se a cultura organizacional é o que irá definir a forma como os colaboradores se comportam dentro do ambiente de trabalho, é natural que o processo de recrutamento e seleção a leve em consideração no momento de atrair novos talentos. Afinal, é primordial que haja uma identificação entre empresa e profissional para se construir uma parceria de sucesso. 

É nesse ponto inclusive que a cultura organizacional bem estruturada se demonstra essencial para o crescimento de uma empresa, pois, ao ser contratado, um novo colaborador esperará encontrar no dia a dia exatamente o que foi apresentado como a cultura da determinada companhia.

Apresentar e utilizar a cultura no processo de seleção dará uma maior assertividade às contratações, pois serão escolhidos profissionais que têm maior fit cultural com a companhia.

Como estruturar a cultura em minha empresa?

Uma dúvida bastante comum é como começar a estruturação da cultura organizacional de uma empresa. Normalmente, o caminho ideal é começar definindo conceitos básicos como missão, visão e valores. Inclusive, de maneira geral, a maioria dos negócios já iniciam com essa conceituação bem definida. 

O que acontece, muitas vezes, é que na prática a aplicação destes na empresa não ocorre, confundindo os colaboradores e atrapalhando a estratégia e crescimento do negócio. 

Missão, visão e Valores

Primeiramente, é preciso entender que eles são os pilares de qualquer organização, antes de iniciar o processo de definição de valores que constroem a cultura organizacional.

Eles funcionam como uma espécie de documento que serve como base para a cultura organizacional da empresa. Precisam ser claros, transparentes e inspiradores. O objetivo principal desses conceitos é engajar os colaboradores e esclarecer ao público externo quais são os objetivos do negócio. 

Como definir a Missão

A primeira ação na construção da cultura organizacional é fazer a definição de qual é a missão da empresa. A frase deve responder qual a razão do negócio existir, ou seja, o motivo pelo qual ele foi criado. 

Ela deve funcionar como a identidade da organização, além de refletir o propósito da empresa como negócio. Toda decisão estratégica tomada pelos gestores deve levar em consideração qual é a missão da companhia. 

Como definir a Visão

Já a visão deve refletir onde a empresa quer chegar, ou seja, o que se espera do negócio no futuro. Ao começar a empreender, é natural que todo empresário tenha em mente o que quer conquistar com o novo empreendimento. 

Por isso, a visão deve traduzir em palavras qual o objetivo da sua empresa. Lembre-se de que esse anseio precisa ser realizável dentro do espaço de tempo determinado pela estratégia de negócio.

Como definir os Valores

O terceiro conceito deve ser o último a ser construído. Ele consiste nos princípios que todos os integrantes da empresa devem seguir. Os valores serão o guia para orientar o comportamento dos colaboradores e transmitirão ao público externo a imagem corporativa que a companhia deseja passar. 

Diferentemente das crenças, que ficam no âmbito do que as pessoas acreditam, os valores devem ser praticados diariamente e devem guiar ainda as decisões corporativas, a fim de manter e/ou desenvolver uma boa credibilidade para a empresa. 

Um ponto importante de se destacar é que a missão, a visão e os valores de uma companhia não são definitivos. É bastante natural que as empresas evoluam ao longo do tempo e desenvolvam outras prioridades ou objetivos, sendo assim, esses conceitos podem e devem ser atualizados de acordo com a evolução e transformação do negócio. 

Qual o papel do RH na conversação da cultura organizacional?

O setor de recursos humanos tem um papel importantíssimo na construção e na propagação da cultura organizacional dentro de uma empresa. Primeiramente, os recrutadores precisam conhecer profundamente o que é praticado na companhia para fazer a atração de talentos corretamente. 

Além disso, o RH também é responsável pela conscientização do colaborador sobre os princípios e objetivos da companhia. Junto com os líderes, os profissionais do RH devem disseminar os comportamentos esperados pela empresa, assim como transmitir os valores e as ações esperadas dentro da cultura organizacional. 

Como facilitar o processo de compreensão do colaborador?

A conscientização dos colaboradores sobre a cultura organizacional pode ocorrer de diversas formas, porém, o ponto principal é que o exemplo precisa vir da liderança. Para que o funcionário compreenda o conjunto de comportamentos praticados na companhia, todos os integrantes dela, não importando o cargo que ocupam, devem praticá-los diariamente. 

É indispensável que o discurso da cultura organizacional também seja aplicado no dia a dia, pois, qualquer discrepância entre as falas e as atitudes, farão com que os colaboradores percam a identificação com a empresa.

A comunicação interna e o diálogo entre líderes e liderados também são ferramentas que devem ser utilizadas constantemente para disseminar a cultura organizacional e facilitar a compreensão.  

Quais os 4 tipos de cultura organizacional?

imagem de quatro pessoas segurando quatro peças de quebra-cabeça

Para construir uma cultura organizacional, os empreendedores e gestores costumam seguir alguns caminhos já estruturados e utilizados em outras empresas. O filósofo irlândes Charles Handy definiu pelo menos quatro modelos de comportamentos organizacionais que veremos a seguir.

Cultura do poder

Neste tipo de cultura organizacional, o poder é centralizado. Logo, quem está no topo da empresa tem maior poder de decisão e influência. Quanto mais distante deste centro, menor é a voz ativa dos profissionais, que devem obedecer e seguir as decisões tomadas pelos superiores.

De maneira geral, está mais presente em pequenas empresas e são organizações com perfil mais político e que estão sempre em busca de mais poder.

Cultura de papéis

Na cultura de papéis, o foco está na função de cada colaborador dentro da empresa. Este tipo prevê que cada profissional tenha seu papel bastante definido e suas atividades dentro da companhia devem seguir um escopo pré-determinado para seu cargo. 

Os pontos negativos desse modelo é que há pouca flexibilidade e baixa capacidade de adaptação a imprevistos, tornando os colaboradores mais acomodados e menos preocupados com o crescimento da empresa. 

Cultura de tarefas

Este tipo de cultura organizacional traz o diferencial de ser focado nos projetos. O objetivo aqui é resolver o problema em questão e, por isso, é designado para cada tarefa o profissional que tiver as habilidades necessárias para solucioná-lo. 

Na cultura de tarefas, o profissional assume a responsabilidade e possui liberdade para buscar soluções da maneira como julgar adequado. Esse modelo costuma ser positivo, pois os colaboradores se sentem valorizados e se mantêm motivados. 

Cultura de pessoas

A cultura de pessoas coloca o colaborador como o centro de tudo, independentemente de cargo ou posição na hierarquia da empresa. Esse modelo propõe a valorização do funcionário, seu crescimento profissional e a integração das equipes. 

Aqui existe a plena consciência de que a empresa só existe devido ao trabalho dos colaboradores e sua dedicação para a conquista dos objetivos do negócio. 

Conheça alguns exemplos de cultura organizacional em grandes empresas

imagem de um grupo de pessoas sentado ao redor de uma mesa em um escritório

A cultura organizacional, muitas vezes, ultrapassa as barreiras da empresa e se torna marca registrada da companhia, virando parte da imagem corporativa do negócio. Abaixo alguns exemplos de cultura organizacional bastante conhecidos no mercado de trabalho. 

Google 

Uma das empresas mais desejadas pelos profissionais, pois possui uma cultura bastante moderna e é conhecida pela forma como faz o gerenciamento de pessoas. O Google é lembrado pelo ambiente descontraído, pelo foco no bem-estar do colaborador e pelas estratégias motivacionais. 

Além disso, o clima organizacional e a aposta em um ambiente democrático, de hierarquia horizontal, faz com que o Google seja reconhecido como um espaço de valorização de ideias e liberdade criativa. 

Netflix

A Netflix também tem uma cultura organizacional muito forte, que prega a importância dos processos e da flexibilidade de condutas, com o objetivo de evitar gastos excessivos. No documento “Cultura Netflix: Liberdade e Responsabilidade”, a companhia destaca que os funcionários possuem plena capacidade de responder pelos seus atos, coordenar suas atividades e assumir responsabilidades. 

Starbucks

Outro exemplo é o da Starbucks, que focou sua cultura organizacional no bem-estar da comunidade e na sustentabilidade do meio ambiente. A rotina da companhia traduz a missão de “Inspirar e nutrir o espírito humano, uma pessoa de cada vez, uma xícara de café e uma comunidade de cada vez”. 

Nubank

A Nubank tem uma cultura organizacional muito forte, mesmo em pouco tempo de existência. A empresa nasceu com o propósito de ser diferente dos seus concorrentes e preza pela integração de colaboradores e clientes. 

A cultura é inclusiva, descontraída e criativa, inclusive, no que diz respeito à forma como os colaboradores se vestem, sendo um atrativo para os profissionais que buscam mais liberdade.

Controle de jornada e cultura organizacional

Falamos ao longo deste artigo que algumas empresas acabam por apostar em uma cultura organizacional mais flexível, mas, isso não significa que não tenham que seguir algumas determinações da legislação trabalhista. 

O controle de ponto, por exemplo, é obrigatório em todas as empresas a partir de 20 funcionários. Então, como fazer esse controle quando se tem uma cultura flexível?

A resposta é bastante simples. As companhias podem optar pelo controle de ponto virtual, no qual os colaboradores conseguem fazer o registro da jornada de trabalho via smartphone e outros dispositivos móveis, de onde estiverem. 

Além disso, a gestão do controle de jornada bem feita também fortalece a relação de transparência entre a empresa e o colaborador, pois o profissional sabe que sua folha de pagamento e banco de horas estarão de acordo com o que trabalhou no mês. 

Outro ponto é o fato de que o controle de ponto também permite a análise de métricas, como horas extras em excesso e absenteísmo, permitindo que os gestores atuem no fortalecimento da cultura organizacional, revisando processos equivocados e analisando padrões de comportamentos entre os colaboradores. 

Para facilitar essa rotina, o sistema PontoTel, por exemplo, é um dos mais completos do mercado e oferece funcionalidades de marcação de jornada offline, extração de relatórios, entre outros benefícios para a gestão de pessoas. 

Conclusão

A cultura organizacional é, portanto, um conceito que demonstra o conjunto de comportamentos, hábitos e conduta praticados pelos colaboradores de uma empresa. Ela deve traduzir a missão, a visão e os valores da companhia. 

Na prática, a cultura organizacional serve como um guia de conduta para os colaboradores, inclusive, do alto escalão. Essa base é quase como uma identificação da marca, por isso, todos os profissionais devem praticar no dia a dia o que a empresa preza no discurso.

Por fim, é essencial que a cultura organizacional seja utilizada como base para a tomada de decisão estratégica do negócio e seja bem compreendida por todos os funcionários.

Gostou deste artigo e quer saber mais? Acompanhe o blog da PontoTel e fique por dentro das novidades.

banner conheça o aplicativo pontotel
Compartilhe em suas redes!
Rolar para cima